Sexta-feira, 26 de Outubro de 2007

Noticia do dia

 

 

Mafra, Lisboa, 26 Out (Lusa) - O primeiro-ministro português, José Sócrates, defendeu hoje uma uma "relação estável" entre a União Europeia e a Rússia, considerando-a essencial para a paz no Mundo.

As palavras de José Sócrates foram proferidas na abertura da sessão plenária da Cimeira UE/Rússia, a decorrer em Mafra, arredores da capital portuguesa.

"Os políticos têm que saber responder às incertezas e às tensões do mundo actual. Nada contribuirá mais para a paz no Mundo do que uma boa relação estável e duradoura entre União Europeia e Rússia", declarou Sócrates, presidente em exercício do Conselho Europeu de líderes da UE.

Na sua curta declaração, o primeiro-ministro português dirigiu-se directamente ao chefe de Estado russo, Vladimir Putin, para lhe deixar a mensagem de que a delegação europeia partia para a Cimeira de Mafra com "espírito construtivo".

 

Neste ambiente tão inspirador como o de Mafra, a delegação europeia parte para a cimeira com uma vontade muito construtiva e positiva. Este é o espírito que nos anima", frisou.

Para José Sócrates, os dirigentes políticos da UE e da Rússia deverão assumir o desafio "de estar à altura dos tempos".

"Estou certo que esse é o desejo comum dos cidadãos russos e da União Europeia", disse

PMF.

Agência Lusa

 

 

Estamos todos contentes, melhor falando, estamos orgulhosos da nossa hospitalidade...

Pena  foi o caos causado esta manhã, na hora de ponta, na Auto Estrada de Cascais A5...

 

Não falando nas zonas periféricas  que às 9 horas da manhã ninguém se mexia...

 

Finalmente, perto das 9H40M lá conseguimos avistar a comitiva "gama alta" a passar na Auto Estrada A5...

 

 

Pois isto é tudo muito bonito ...mas é para português ver...

 

Transtornos foram muitos, stress à flor da pele e cartões de ponto fora de horas...agora expliquem aos nossos patrões o que se passou e porquê!!!

 

Pelo que apurei esta tarde vamos viver este cenário novamente ... mas agora o problema é inteiramente nosso...porque vamos de regresso a casa.

 

sinto-me:
Cor: Hino Nacional
Quinta-feira, 25 de Outubro de 2007

Juventude esta ...

 

 

 

A  juventude de hoje, na faixa que vai até aos 20 anos, está perdida. E está perdida porque não conhece os grandes valores que orientaram os que hoje rondam os trinta. O grande choque, entre outros nessa conversa, foi quando lhe falei no Tom Sawyer. "Quem? ", perguntou ele.
Quem?! Ele não sabe quem é o Tom Sawyer! Meu Deus... Como é que ele consegue viver com ele mesmo? A própria música: "Tu que andas sempre descalço, Tom Sawyer, junto ao rio a passear, Tom Sawyer, mil amigos deixarás, aqui e além..." era para ele como o hino senegalês cantado em mandarim.

Claro que depois dessa surpresa, ocorreu-me que provavelmente ele não conhece outros ícones da juventude de outrora. O D'Artacão, esse herói canídeo, que estava apaixonado por uma caniche; Sebastien et le Soleil, combatendo os terríveis Olmecs; Galáctica, que acalentava os sonhos dos jovens, com as suas naves triangulares; O Automan, com o seu Lamborghini que dava curvas a noventa graus; O mítico Homem da Atlântida, com o Patrick Duffy e as suas membranas no meio dos dedos; A Super Mulher, heroína que nos prendia à televisão só para a ver mudar de roupa (era às voltas, lembram-seSmiley; O Barco do Amor, que apesar de agora reposto na Sic Radical, não é a mesma coisa. Naquela altura era actual...
E para acabar a lista, a mais clássica de todas as séries, e que marcou mais
gente numa só geração:

O Verão Azul. Ora bem, quem não conhece o Verão Azul merece morrer. Quem não
chorou com a morte do velho Shanquete, não merece o ar que respira.
Quem, meu Deus, não sabe assobiar a música do genérico, não anda cá a fazer nada.

Depois há toda uma série de situações pelas quais estes jovens não passaram, o que os torna fracos: Ele nunca subiu a uma árvore! E pior, nunca caiu de uma. É um mole. Ele não viveu a sua infância a sonhar que um dia ia ser duplo de cinema. Ele não se transformava num super-herói quando brincava com os amigos.
Ele não fazia guerras de cartuchos, com os canudos que roubávamos nas obras e que depois personalizávamos.

Aliás, para ele é inconcebível que se vá a uma obra. Ele nunca roubou chocolates no Pingo-Doce. O Bate-pé para ele é marcar o ritmo de uma canção.

Confesso, senti-me velha...

Esta juventude de hoje está a crescer à frente de um computador. Tudo bem, por mim estão na boa, mas é que se houver uma situação de perigo real, em que tenham de fugir de algum sítio ou de alguma catástrofe, eles vão ficar à toa, à procura do comando da Playstation e a gritar pela Lara Croft.

Óbvio, nunca caíram quando eram mais novos. Nunca fizeram feridas, nunca andaram a fazer corridas de bicicleta uns contra os outros. Hoje, se um miúdo cai, está pelo menos dois dias no hospital, a levar pontos e fazer exames a possíveis infecções, e depois está dois meses em casa fazer tratamento a uma doença que lhe descobriram por ter caído. Doenças com nomes tipo "Moleculum infanticus", que não existiam antigamente.

No meu tempo, se um gajo dava um malho muitas vezes chamado de "terno" nem via se havia sangue, e se houvesse, não era nada que um bocado de terra espalhada por cima não estancasse.

Eu hoje já nem vejo as mães virem à rua buscar os putos pelas orelhas, porque eles estavam a jogar à bola com os ténis novos. Um gajo na altura aprendia a viver com o perigo. Havia uma hipótese real de se entrar na droga, de se engravidar uma miúda com 14 anos, de apanharmos tétano num prego enferrujado, de se ser raptado quando se apanhava boleia para ir para a praia. E sabíamos viver com isso. Não estamos cá? Não somos até a geração que possivelmente atinge objectivos maiores com menos idade? E ainda nos chamavam geração "rasca"...

Nós éramos mais a geração "à rasca", isso sim. Sempre à rasca de dinheiro, sempre à rasca para passar de ano, sempre à rasca para entrar na universidade, sempre à rasca para tirar a carta, para o pai emprestar o carro. Agora não falta nada aos putos.

Eu, para ter um mísero Spectrum 48K, tive que pedir à família toda para se juntar e para servir de presente de anos e Natal, tudo junto. Hoje, ele é Playstation, PC, telemóvel, portátil, Gameboy, tudo.

Claro, pede-se a um chavalo de 14 anos para dar uma volta de bicicleta e ele pergunta onde é que se mete a moeda, ou quantos bytes de RAM tem aquela versão da bicicleta.

Com tanta protecção que se quis dar à juventude de hoje, só se conseguiu que 8 em cada dez putos sejam cromos.

Antes, só havia um cromo por turma. Era o totó de óculos, que levava porrada de todos, que não podia jogar à bola e que não tinha namoradas.

É certo que depois veio a ser líder de algum partido, ou gerente de alguma  empresa de computadores, mas não curtiu nada.

Cor: True of Colours - Cindy Lauper
Sexta-feira, 19 de Outubro de 2007

Fui o que restei de um amor de há muitos anos... (cont.)

 

 

 

Quando o meu pai me chamou à sala e me pediu para sentar no sofá, já sabendo de antemão o que ele me ia dizer, fitei-o nos olhos. Os meus olhos brilhavam de tal forma que a minha visão ficou turva. Os meus dedos apertavam o braço do sofá.

- Diz, pai – disse-lhe em voz trémula.

O meu pai nada respondeu. Tinha o olhar fixo no chão. Senti o seu rosto carregado de tristeza e sofrimento. De repente o meu pai envelheceu…

Por fim, levantou a cabeça e olhou-me. Fiquei chocada com o rosto do meu pai…tinha estado a chorar, comecei a tremer incontroladamente.

- Anita, o pai vai separar-se da mãe. Vou sair daqui a pouco.
- Pai, vais para onde? – perguntei-lhe quase a chorar.
- Não sei. Talvez para casa de um amigo uns tempos – respondeu-me.
- Não pai, ficas aqui. Esta casa é minha – gritei-lhe.

Foi a última vez que me descontrolei diante do meu pai.

A partir daquele dia a minha vida sofreu alterações muito grandes.
Passava horas sozinha em casa. Por vezes jantava com a televisão. A mãe chegava tarde, porque tinha dois empregos.
Na maior parte das vezes nem sentia ela chegar…
Deixe de receber o beijinho do meu pai ao deitar e de rezarmos o Pai Nosso.

Tive momentos que só me apetecia gritar e chorar e perguntar ao meus Deus:

- PORQUE ME TIRASTE A MINHA FAMILIA!!! MORRO SEM ELES!!! NÃO PERCEBES???


Desesperava com a chegada do fim de semana para me encontrar com o meu pai. Vestia o meu melhor vestido e levava-lhe sempre o meu caderno para lhe mostrar o que tinha escrito na ultima semana. Conversávamos imenso, nem dávamos pelas horas passarem.
A hora da despedida era sempre angustiante. Despediamo-nos com um beijo na face e um abraço muito forte. Ele mandava sempre um beijinho para a mãe.

O tempo foi passando e eu fui-me adaptando, fui obrigada a aceitar …

Fui crescendo e vendo a vida dos meus pais a recompor-se. A mãe casou novamente e tive dois irmãos. O pai vive com a namorada e da qual já tem uma menina.

Eu? – fui o que restei de um amor de há muitos anos…

sinto-me:

FAMILIA - A Instituição social mais antiga do mundo

 

 

Noticia: O aumento da taxa de divórcio, do número de mulheres no mundo do trabalho e o baixo índice de nupcialidade e de natalidade produzem mudanças na estrutura familiar que precisam de ser pensadas. É que a família continua a ser a unidade primeira de educação.



É na família que conhecemos os nossos primeiros amores e desamores, com ela crescemos e aprendemos. É a partir da família, vulgo pai e mãe, que a nossa personalidade se desenvolve, sem falar dos genes transmissíveis de geração para geração.



Não é por acaso que a família é a instituição social mas antiga do mundo.



Chamo-lhe instituição social, precisamente, porque é no seio da família que o processo de socialização se inicia: interacção entre pais e filhos, entre irmãos, avós…com a entrada no pré –escolar somos inseridos numa sociedade maior onde vamos interagir com pessoas estranhas ao nosso meio familiar, mas que é necessário e urgente para que a sociabilização seja saudável e sustentada.

O que acabei de escrever é meramente pedagógico, mas devia funcionar.

Ora, o conceito de família, nos dias que correm, também sofreu algumas alterações (as famílias já não são o que eram) resultado de profundas alterações na estrutura da sociedade: aumento da taxa de divórcios, a integração cada vez maior das mulheres no mundo do trabalho, baixo indice de nupcialidade e de natalidade, etc…com consequências na estrutura familiar.

Hoje, falam-se de famílias monoparientais, mães celibatárias, casais com um único filho, ou mesmo sem filhos, não falando da novidade séc. XXI, casais homossexuais com filhos.

A minha preocupação recai nos filhos que estão previstos nascer e nos que acabaram de vir ao mundo. Enquanto eu e muitos de vós nasceram e cresceram no seio de uma família, no seu verdadeiro conceito, e através do qual adquirimos valores verdadeiros e sentidos, não quero dizer com isto, que tenham sido os mais correctos, mas sem dúvida que foram muito úteis para o que somos hoje.

Portanto, seria bom, hoje repensarmos nas nossas novas famílias. A decisão de um divórcio ou de uma mulher desejar ser mãe solteira, terá necessariamente de passar por uma reflexão interior e de conceptualização sobre a sua nova família, porque aos pequenos não lhes podemos recusar dar o que recebemos na nossa infância e que tanto gostámos e saboreámos.

Não vou opinar sobre os divórcios e os filhos, por falta de experiência no campo, mas escreverei sobre o que sinto no ponto de vista “eu filha de pais separados” no próximo blog.

Com este blog apenas pretendi fazer uma introdução ao um tema que vou desenvolver, inspirado não só na minha vivência, mas também, por uma jovem recentemente filha de pais separados…achei que lhe devia dar este carinho e explicar-lhe que não é assim tão negativo, faz parte da evolução da sociedade, é uma questão de aprendizagem e aceitação, desde que o amor prevaleça.

 

 

sinto-me:
Sexta-feira, 12 de Outubro de 2007

O que nós conseguimos escrever (PROVOCAÇÕES)

 

 

 

A vontade que eu tive de te provocar….

Peguei na minha caneta e comecei a escrever…

Rasguei não sei quantas folhas, a inspiração não surgia e as ideias deturpadas como estavam, não conseguiam brotar de forma harmoniosa e concisa através dos meus dedos…

Mudei de local, fui para o meu quarto, encostei-me ao espelho, procurei a minha música inspiradora … Patty Smith – Because the Night… fechei os olhos e deixei-me levar pela música.

Nessa noite fui proeminente! Desejei provocar-te, procurei-te e levei-te comigo para um vale onde ninguém nos visse, ninguém nos importunasse, ninguém nos chamasse… tu ouvias as tuas músicas mais potentes e começamos ambos a escrevinhar…em compasso no principio, como vigor a meio e relaxante no final…

 



O prazer com que o fizemos foi explosivo, ficámos exaustos e cheios de vontade de continuar…

Foram horas em que os nossos pensamentos se libertaram de censuras, saltando as fronteiras sem qualquer proibição ou impedimento!

Soltámo-nos das fortes correntes que nos prendem e deixámo-nos arrastar ao sabor do vento.

 


Foi um belo escrito sem dúvida…

Myownworld / Rabat

sinto-me:
Segunda-feira, 8 de Outubro de 2007

Libertem os vossos filhos

Acabei de ler o livro “Inventem-se novos pais” de Daniel Sampaio.
 
É um livro saboroso na medida em que, como diz ao autor, é um diálogo com os pais.
O que li foi muito construtivo, assimilei letra a letra, palavra a palavra.
 
Descobri que há sinais que os meus filhos emitem e que eu desconhecia, não por ignorância mas sim, por falta de tempo ou mesmo de paciência.
 
Ora, numa época em a informação avassala as nossas casas, as escolas, os locais de lazer, os de trabalho, de forma desmedida… é necessário parar e reflectir sobre esta mesma informação. Há que descortinar qual a informação útil e necessária,  da nociva. E é aqui que eu páro!
 
Como é que os nossos pré adolescentes caminharão para um futuro melhor se o principal meio de comunicação que é a televisão, nos entra diariamente na nossa casa com telenovelas estupidificantes como por exemplo “ Morangos com Açúcar” e que os nossos pequenos jovens a absorvem e assimilam de tal maneira que os valores que tentamos transmitir no nosso dia vão perdendo cada vez mais o seu lugar.
 
Estava eu um dia destes sentada no meu sofá a ler, quando a minha filha de 8 anos me interpelou:
 
- Mamã, o que é um rapaz sexualmente precoce?
 
Fiquei a olhar para ela atónita e perguntei-lhe:
 
- Porque me perguntas isso? A tua professora falou sobre esse assunto na escola? perguntei-lhe, propositadamente.
 
- Na escola, mamã? Não, ouvi nos “Morangos com Açúcar” há pouco, mas não percebi.
 
- Hum! Pois filha, penso que devem ser rapazinhos que nasceram muito inteligentes. Enquanto tu vais às escola aprender a ler e a escrever, eles já sabem tudo, mas não são mais felizes por isso. É uma doença – respondi.
 
A minha filha olhou para mim, sem perceber puto do que lhe disse.
 
Então mas que resposta eu poderia ter dado? Ia explicar à minha filha de 8 anos o que era um rapazinho sexualmente precoce?! Pois… é isto que a nossa televisão anda a injectar na cabeça dos nossos pequenos jovens… e não só … nem tão pouco me referi às normas de boa conduta para com os pais do elenco da dita novela!
 
A partir deste momento, comecei a entreter a minha filha com pinturas na hora dos “Morangos com Açúcar” para evitar que ela fique pasmada diante da TV a ver aquela porcaria! Que pinte os bancos, o chão, as paredes o que ela bem entender, mas tudo é preferível aos programas educativos (metáfora) que a nossa comunicação social pretender vender a toda a força.
 
Pais, ouçam os vossos filhos! Se não tiverem tempo para cuidar da casa, ou de ler as revistas consumidoras de tempo que lixe isso tudo. Falem com eles, brinquem, joguem, façam as refeições em conjunto…tantas coisas que se pode fazer com elas.
 
Não as deixem embarcar neste consumismo desenfreado…
Quinta-feira, 4 de Outubro de 2007

Ser mãe é tão bom... nao se deixem levar pelo consumismo...

 

 

Hoje confrontei-me com um assunto que tive dificuldade de digeri-lo Smiley . Perguntaram-me se eu era a favor do aborto Smiley

Nao sou e dificilmente serei ... Smiley

Ser mãe é maravilhoso...nem sei como descrever o momento em que fui mãe ... chorei quando colocaram o meu bébé sobre o meu corpo... tive esta experiência três vezes... chorei sempre como se fosse a primeira a nascer ...

Claro que sei que existem dificuldades enormes por esse mundo fora... ser mãe nao é fácil...ou melhor ter filhos é uma responsabilidade muito grande e tem de ser um acto muito consciente ...

A Lei do Aborto? Hum... Smiley vai enriquecer as fábricas anti -gravidez ou melhor "o bolso de muita gente", grande negócio este ... Smiley

As potenciais mamãs mais desfavorecidas vão continuar a recorrer ao aborto clandestino ...

Não vai haver dinheiro para pagar aos particulares ...

Smiley

A preocupaçao maior deveria ter sido focada sobre a educaçao sexual e prevençao ... isso sim, era uma vitória e acabavam-se com os tabus, que infelizmente ainda existem.

O acolhimento da jovens mâes, onde existem?? Contam-se pelos dedos e só Deus sabe o esforço que fazem para sobreviver.

Pois é... desculpem ser esta a minha opinião, mas nao quis deixar de transmiti-la...

Sou mãe e adoro ...

É tão bom ouvir uma vozita a chamar mamã, receber um beijo e uma caricia ...

Ana Jasmin

 

sinto-me:

.Quem sou?

.Junho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30

.Os mais recentes

. A Burka - Lágrimas que co...

. Partilhar em terras árabe...

. Curiosidades - Caganers

. O pior é se um dia acorda...

. Adolescentes de outrora ....

. Como vai ser o Ano 2008?

. Vamos reconstruir...

. Algumas sugestões de link...

. Carta ao Pai Natal...

. Um Natal com muito carinh...

.Prateleira

. Junho 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Julho 2007

.tags

. todas as tags

.Os meus preferidos

. Porque partiste?

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds